domingo, 8 de maio de 2011

System Of A Down - Discografia


Este é mais um post motivado pela confirmação do show no Brasil, assim como o do UFO. Dessa vez o show será no Rock In Rio, dia 2 de outubro, mesmo dia do "Guns 'N Roses".

1993, Serj Tankian era um vendedor de softwares na cidade de Los Angeles, até que conhece Daron Malakian, ambos de descendência armênia, em pouco tempo adquirem grande amizade. Assim surgiu a banda Soil, que contava Dave Hakopyan no baixo e Domingo Laranio na bateria. Estes dois últimos deixaram a banda pouco mais de um ano após seu surgimento, alegando que esta não iria a lugar nenhum.

No final de 94 a banda decide trocar de nome , dando origem ao System Of A Down (SOAD), adaptado de um poema de Daron chamado "Victims Of The Down". Para repor o baterista, contrataram Andy Khatchadurian e Shavo Odadjia, que até então era apenas o empresário da banda, se torna o baixista.

Já com o grupo formado, começaram a trabalhar em demos como "P.I.G." ("Mr. Jack" em "Steal This Álbum") e "Flake", além de um cover da canção "The Metro", que foi usada no filme "Não É Mais Um Besteirol Americano" como trilha de fundo para um jogo de futebol americano. Rumores dizem que além dessas demos, foram gravadas outras, como "Friik!!","36" e "Roulette" (com baixo e violão). Até 1997 lançaram 3 fitas demo, estas foram lançadas com a intenção de promover a banda, na esperança de conseguirem algum contrato.

A primeira fita demo contava com as canções "Suitepee" (tudo junto, diferente da versão final), "Sugar", "DAM" e "P.L.U.C.K.". A segunda fita demo tinha as canções "Honey", "Temper" e "Soil". A terceira fita era composta por "Know", "War?" e "Peep-Hole" (separado por hífen, diferente da versão final). Em 1997, o baterista Andy Khachaturian abandona a banda e é substituído por John Dolmayan. Perto do final do ano é gravada mais uma demo, mas desta vez apenas para as gravadoras - o público só teve acesso a este registro anos mais tarde quando foi disponibilizado na Internet.

A American Recordings, de Rick Rubin (Linkin Park, Red Hot Chilli Peppers, ZZ Top, Slipknot e Metallica), se mostra interessada, e assim que o contrato é fechado, a banda entra em estúdio para gravar seu primeiro álbum. O auto-intitulado álbum de estreia é lançado em 1998, com os singles "Sugar" e "Spider" logo ganhando destaque nas rádios. Após o lançamento do álbum e o sucesso praticamente instantâneo, a banda entrou em turnê, abrindo shows para Slayer e Sepultura, chegando até a atuar no palco secundário do Ozzfest de 1998.

A capa do álbum é original de um poster desenhado por John Heartfield, feita para um jornal comunista alemão. No poster está escrito a seguinte frase: "5 fingers has a hand! With these 5 grab the enemy!" ("Uma mão tem 5 dedos. Com estes 5 agarre o inimigo!").

Não pode-se definir um gênero específico que rotule a banda, eles mesmos odiavam rótulos, dizendo que estes eram criados apenas para fins comerciais da gravadora. O SOAD tem influências do folk armênio e mediterrâneo, da banda Faith No More, do rap, do metal, etc. Esta mistura, a uma primeira vista estranha, gerou um som extremamente empolgante e inovador, que cai muito bem aos ouvidos.


Além da sonoridade, destacam-se as letras, inteligentes e politizada. Defensores dos armênios (povo vítima de genocídio cometido pela Turquia, em 1915), e pouco tolerantes a guerras e violência, explodem em fúria contra os matadores legitimados pela política desajeitada e demente que domina o mundo. Muitas das letras dizem respeito à violência política e moral de nosso tempo. Além de densas e tensas, as letras são, por vezes, de entendimento difícil, visto que não são escritas de forma tão direta quanto uma música punk tradicional, por exemplo. Segundo Serj, isto serve pra estimular a imaginação dos fãs, no intuito de que todos interpretem de sua própria maneira.

System Of A Down - Download

Formação: Serj Tankian (vocais), Daron Malakian (guitarra), John Dolmayan  (bateria), Shavo Odadjian (baixo).

Chega o ano 2000 e o SOAD está ganhando espaço no mundo musical, mas ainda não é uma banda muito conhecida. Então eles fazem uma versão de estúdio para a canção "Snowblind", do Black Sabbath, esta entrou no álbum de tributo á banda chamado "Nativity In Black II". Em alguns shows desse ano, a banda chegou a tocar as canções "Prison Song" e "Psycho", mas ainda eram versões não-terminadas e então diferentes das finais. No final do ano deu-se início às gravações do novo álbum, além de fazerem o primeiro show beneficente em homenagem às vítimas do genocídio armênio, o Souls, onde tocaram a canção "Pictures", lançada somente em 2002.

Em em 4 de setembro de 2001 é enfim lançado "Toxicity", alcançando o primeiro lugar em vendas nos EUA e no Canadá. Mais de 12 milhões de cópias do álbum foram vendidas em todo o mundo e nos Estados Unidos a banda chegou a receber disco de platina pelo trabalho. Permaneceu ainda assim no topo na semana dos ataques terroristas de 11 de setembro, embora sob fortes críticas à respeito de "Chop Suey!" que foi banida das rádios americanas devido à sua letra, pois tinha estrofes consideradas semelhantes aos ataques.

O álbum é praticamente uma coletânea dos sucessos da banda, já começando com a ótima "Prison Song" , uma bateria e alguns sussurros no fundo até a entrada de uma linha de baixo absurda, junta dos guturais de Serj Tankain, essa música também mostra a influência do rap no vocal de Serj e a presença (ainda tímida) dos vocais de Daron Malakian. Terminada a porrada inicial começa "Needles" com outra ótima introdução, seguida de um riff que oscila entre pesado e calmo durante toda a música, além de um refrão grudento. Dando sequência ao álbum, "Deer Dance" e "Jet Pilot" são bens parecidas, apresentando influência da música armênia e do mediterrâneo. A próxima é "X" o ponto do baixo da playlist, apesar de passar longe de ser ruim. "Chop Suey", um dos maiores clássicos da banda, feita em homenagem à um amigo suicida do grupo, o Chop Suey é uma comida de origem chinesa, criada por um chefe da embaixada chinesa nos EUA, a música começa mais tranquila que as outras, com um violão ao fundo, mas logo acelera, até acalmar de novo com um vocal mais melódico de Serj e até com a presença de um piano. Uma das minhas preferidas, "Bounce" tem diversas quebras de rítmo, oscilando novamente entre o leve e o pesado, com outro refrão viciante, misturando “Jump”, “Down”, “Bounce”, "Up" e "Pogo".

(1:07 = PQP o.O )

O nível se mantém com "Forest", "ATWA", "Science" e "Shimmy" com destaque para a terceira. Outro clássico indiscutível, "Toxicity", uma química perfeita entre todos os intrumentos e o vocal melódico e interpretado, alternando mais uma vez entre o leve e o pesado como só o SOAD sabe fazer. Após passar pelo refrão mais legal do álbum em “Psycho" chegamos em "Aerials", outra obra prima que conta até com um violino na introdução, logo que a música chega ao fim, inicia-se uma nova faixa, conhecida como "Arto", feita com a colaboração de Arto Tunç Boyaciyan, ele também faz participação na música "Science" da qual aos 1:40 min ele canta "Sim hayastani de anush de im, arevaham barr nem sirum", que traduzindo para o português seria algo mais ou menos como: "Eu amo minhas doces palavras com sabor do sol da Armênia".

Toxicity - Download

Formação: Serj Tankian (vocais), Daron Malakian (backing vocal, guitarra), John Dolmayan  (bateria), Shavo Odadjian (baixo).

Ainda em 2001, foram colocadas na Internet algumas faixas não editadas e não acabadas, no formato de um álbum intítulado como "Toxicity II", apesar de muitos julgarem como sobras do álbum anterior, Serj afirma que as canções chegam a ser até melhores que os singles consagrados do álbum de 2001. Sendo assim o SOAD publicou um comunicado expressando seu desapontamento pelo fato de os fãs estarem ouvindo material inacabado e prometeram lançar um novo álbum com as canções concluídas. A banda então entrou em estúdio novamente e regravou essas canções, alterando algumas, tanto na estrutura quanto no nome, e lançaram o álbum chamado "Steal This Album!" em novembro de 2002.

O nome do mesmo surgiu como uma referência ao título do livro de Abbie Hoffman, Steal This Book, e também como uma mensagem a todos os que roubam música e as lançam na Internet. O álbum não tem encarte e o disco foi feito para parecer um CD-R escrito a caneta. O single de apresentação do álbum foi "Innervision", promo que recebeu boa aderência por parte das rádios. Deste disco ainda tem destaque para a canção "Boom!", cujo vídeo gravado em 2003, representava um protesto contra a guerra do Iraque feita pelos Estados Unidos, mostrando protestos contra a guerra em todo mundo, inclusive no Rio de Janeiro e São Paulo.

Nas duas primeiras músicas ja se percebe que o peso continua o mesmo e que agora Daron Malakian tem ainda mais epaço nos vocais da banda. "Bubbles" apresenta a já conhecida influência armênia, novamente com a participação de Arto Tunç Boyaciyan, é ele quem canta "Bad men would have told us the lie" e toca o instrumento armênio na parte mais 'calma' da música."Boom!", "Nügguns" e "A.D.D" fazem o nível do álbum cair um pouco, mas sem compremeter. Dentre as músicas restantes o destaque vai para "Pictures", "Ego Brain" e "Roulette", nesta última onde o SOAD mostra que também sabe fazer "baladinhas", combinando perfeitamente o violão e os violinos ao fundo. "Streamline" é ótima, com o diferencial de ter um solo perto do meio, pouco comum nas músicas da banda, assim ela fecha o álbum magistralmente.

Steal This Álbum! - Download

Formação: Serj Tankian (vocais), Daron Malakian (backing vocal, guitarra), John Dolmayan  (bateria), Shavo Odadjian (baixo).
Em 2003 a banda entra de férias. Serj Tankian juntou várias de suas posesias e fez um livro, chamado "Cool Gardens" e aproveitando a parada, chama seu amigo Arto Tunç Boyaciyan para gravar um disco com músicas típicas da Armênia, chamado "Serart" , que foi lançado pela gravadora do vocalista.
Daron também foi para um projeto paralelo ao System, se juntou com seu amigo Casey "Chaos" Chmielinski, vocalista da banda Amen, para criar uma nova banda. Os dois convidaram Greg Kelso (guitarra) e Zach Hill (bateria) para gravarem uma fita demo chamada Ghetto Blaster Rehearsals. Essa banda se chamava Scars On Broadway - mas não tem ligação nenhuma com o SOB atual , também criado por Daron.

Também em 2002, nasce o Axis Of Justice, uma fundação sem fins lucrativos com o propósito de unir os músicos e os fãs para lutar pela justiça social, fundada por Tankian e Tom Morello. Conta com a participação de outro músicos também, a exemplo de: Flea, Brad Wilk, Chris Cornell, Maynard James Keenan, John Dolmayan e muitos outros. De um show beneficente lançaram o disco "Axis Of Justice: Concert Series Volume 1". Após o show, uma surpresa para os fãs que assistiam, Serj, Daron, John e Shavo, os quatro membros do System Of A Down estavam no palco, e fizeram uma pequena apresentação contendo "Mr. Jack", "Needles", "Deer Dance", "Mind", "Science" e "Kill Rock 'n' Roll", esta última era inédita.

Em 2005 é lançado um álbum duplo, intitulado "Mezmerize" e "Hypnotize", porém, um álbum duplo diferente, pois foi lançado em duas partes, uma em maio e outra em novembro. Os álbuns são ligados de certa forma, pois juntando o encarte dos dois forma-se um desenho único, a canção de abertura do primeiro é "Soldier Side - Intro" e a canção de encerramento do segundo é "Soldier Side", fazendo assim a ligação entre eles. A capa dos álbuns são obras do pintor Vartan Malakian, pai de Daron. A banda achou suas pinturas muito interessantes e decidiram usá-las como arte de capa de seus novos trabalhos.


Chega maio e com ele vem "Mesmerize". Ele marcou o início de uma nova era para o System Of A Down, a sonoridade das músicas mudou bastante, mas sem perder suas características. Além do som, o visual também mudou, exemplo disso são as roupas que eles usaram nesta época. O disco conta com a canção vencedora do Grammy de melhor single, "B.Y.O.B.", que levou o disco ao topo das paradas em pelo menos doze países, e alcançou o primeiro lugar na Billboard 200, vendendo 800 mil cópias no mundo na primeira semana do seu lançamento. O segundo e último single "Question!" foi lançado com o baixista Shavo Odadjian tendo um papel importante na edição do videoclipe.

Em "Soldier Side" Daron Malakian e Serj Tankian harmonizam, eles fazem todo o registro, e guitarra de Malakian e o vocal de Tankian dão um ar à música um ao mesmo tempo triste e belo. Mas isso é apenas para você respirar um pouco antes de "BYOB", um thrash rápido com gritos com raivosos e incrédulos. "Por que eles sempre mandam os pobres?" A exploração vocal entre o guitarrista e o vocalista em "Mezmerize" (e também em "Hypnotize" é uma experimentação eles estimulam um ao outro, criando uma espécie de cantor com duas cabeças. "Radio/Video" é outra boa música, completamente diferente do convencional feito pela banda, mais "feliz" que o normal, incorporando até alguns elementos do raggae. "Cigaro" é a primeira realmente mais pesada do álbum, voltando mais aos álbuns anteriores, "This Cocaine Makes Me Feel Like I'm On This Song" mantém o ritmo mas ele só vai até ai, "Violent Pornography" é definitivamente o ponto baixo do álbum, apesar do bom riff, tem uma letra muito repetitiva e sua melodia é chata."Question!" entra calma, escondedo o que realmente é, quando perto to final acelera e se mostra uma das melhores da lista. Fechando com "Lost In Hollywood" Daron Malakian mostra que pode também ser vocalista, como provou depois em sua banda "Scars Of Brodway".

Mesmerize - Download
Formação: Serj Tankian (vocais), Daron Malakian (backing vocal, guitarra), John Dolmayan  (bateria), Shavo Odadjian (baixo).

Hypnotize, a segunda parte do álbum, foi lançada em 22 de novembro do mesmo ano e rapidamente atingiu a primeira posição da Billboard 200, vendendo 320 mil cópias, o que fez com que o SOAD entrasse numa lista onde apenas figuram os Beatles, Guns N' Roses e os rappers 2Pac e DMX como artistas a conseguirem no mesmo ano dois álbuns na primeira posição das paradas. O novo álbum era muito semelhante ao primeiro, tão bem trabalhado quanto seu irmão gêmeo.

"Attack" faz literalmente o que seu nome apresenta, um ataque fulminante, oscilando entre a calmaria e a velocidade até o final, completamente sensacional, a melhor música de abertura da banda. As músicas seguintes, "Dreaming" e "Kill Rock 'n' Roll" mantém o ritmo da primeira, também ótimas. Aí vem outro clássico, a música homônima ao álbum serve para você respirar um pouco, mas faz isso sem diminuir muito o peso, ela realmente te hipnotiza, com um riff diferente e os clássicos vocais que só Serj Tankian sabe interpretar. "Stealing Society" é outra boa música com uma parte meio punk do meio para o final. "Tentative" é para mim uma das melhores do disco, tem um dos melhores refrões da banda, de ficar na cabeça por um bom tempo. "U-Fig" é igualmente genial, a mudança da parte calma pra agitada é simplesmente perfeita. "Holy Mountains" e "Vicinity Of Obscenity" mantém o alto nível, quero ver alguém cantar "banana, banana, banana, terracota" na mesma velocidade que o Serj sem enrolar a língua. Em "Lonely Day" o vocal de Daron se sobressai, é uma bela "balada", com um pequeno solo muito bem colocado, outro ponto alto do álbum. Seguindo a mesma linha "Soldier Side" é apenas um pouco mais rápida, tem uma letra tão genial quanto o álbum, que depois de "Toxicity" é pra mim o melhor da banda.

Hipnotize - Download

Formação: Serj Tankian (vocais), Daron Malakian (backing vocal, guitarra), John Dolmayan  (bateria), Shavo Odadjian (baixo).

Este foi o último trabalho de estúdio da banda antes de se separarem por tempo indeterminado para cuidar de seus projetos solos e paralelos. Muitos rumores surgiram dando que o System estava acabado, mas durante um show de sua banda, Malakian tratou de desmentir: "Tem circulado diversos rumores sobre o nosso fim. Bem, não os ouçam. Nós quatro seremos sempre os System Of A Down!".

Em 2007, o vocalista Serj Tankian lançou um álbum solo, "Elect The Dead". Em março de 2010, Serj lançou seu disco com a Orquestra Filarmônica de Auckland, chamado "Elect The Dead Symphony", e também seu segundo álbum solo "Imperfect Harmonies". 

Em 2008, o guitarrista Daron Malakian junto com o baterista John Dolmayan lançam um álbum auto-intitulado com sua nova banda, o Scars On Broadway, fizeram alguns shows mas a banda terminou sem motivo aparente, só voltando em 2010, com um show de reestreia para 500 pessoas em um clube de Los Angeles onde, além das canções já conhecidas, executaram algumas novas. O show contou com a participação de Shavo Odadjian, que estrava trabalhanado como DJ, em uma terceira guitarra, em algumas músicas. No final deste mesmo ano a banda confirmou o fim do hiato para realizar alguns shows em festivais pelo mundo, marcando inclusive uma data no Rock In Rio IV.

A esperança agora é de que a banda se reúna novamente, pois criatividade e inovação como eles apresentaram não aparecem sempre no mundo da música, nas últimas duas décadas foram pouquíssimas as bandas que conseguiram juntar estes atributos, sendo o SOAD a melhor dos anos 2000.

Um comentário: